noscript image
GooglePlay Logo AppStore Logo Uptodown Logo

O que o Wanda te dá, o Wanda te tira

Pin Saúl marca o gol da vitória do Atlético contra o Liverpool na Champions. EFE/ Juanjo Martín
Saúl marca o gol da vitória do Atlético contra o Liverpool na Champions. EFE/ Juanjo Martín

O que o Wanda te dá, o Wanda te tira

Liverpool tem atuação muito abaixo do esperado, não dá um chute a gol e é surpreendido, no início do jogo, por um Atlético que dá o primeiro passo para a próxima fase da Champions League. Saúl foi o responsável por dar a vitória aos colchoneros após cobrança de escanteio.

Ainda é uma incógnita se o que o mais surpreendeu foi o gol aos 3 minutos de jogo que deu a vitória para o Atlético ou se foi a própria atuação do vigente campeão da Champions em seu melhor momento na temporada e fazendo história no Campeonato Inglês. 

Dúvidas à parte, o Atlético fez por merecer a vitória. É verdade que um gol logo nos minutos iniciais muda toda a cara da partida e os planos do treinador, que já tem que pensar em mudar o esquema em busca do empate e ao mesmo tempo se fechar para não ver a partida liquidada sem ter chances de reação.

Apesar da vitória dos colchoneros a vaga ainda está em aberto, já que o Atlético venceu o Liverpool por um placar mínimo e deixa a decisão para a Inglaterra, que aconterá em três semanas. Porém o time de Simeone, com certeza, vai com mais confiança. Vale lembrar que Klopp foi com força total ao Wanda Metropolitano, escalando seu onze de gala.

Uma partida equilibrada e ao mesmo tempo decepcionante, realizada em Madrid, com equipes amarradas no meio de campo e sem grandes emoções, apesar do início deslumbrante dos anfitriões. O Liverpool não deu um chute sequer a gol.

O juíz mal tinha apitado o início da partida e Saúl encontrou uma bola viva na pequena área após uma cobrança de escanteio. Com pé direito, o camisa 8 mandou para o fundo do gol, incendiando a torcida e levantando as expectativas do duelo.

Por outro lado, Oblak não precisou trabalhar diante de um Liverpool que provavelmente nunca esteve tão acanhado na temporada, nem parecia aquele campeão que vem alcançando números incríveis e batendo recordes até agora na Premier League.

Apesar do susto inicial, o Liverpool tinha a posse da bola e permaneceu até o final ditando o ritmo da partida, porém o que os Reds realmente precisavam era da força do seu tão temido trio ofensivo, composto por Salah, Firmino e Mané, que por sinal, estava apagadíssimo.

O primeiro inclusive foi substituído no segundo tempo, para a surpresa de todos, num momento em que o Liverpool deveria partir para o ataque e buscar a igualdade no placar.

O time de Cholo estava muito bem composto defensivamente e conseguiu com maestria anular - literalmente - o poderoso ataque rival e evitar as investidas pelas laterais do campo. Origi e Vitolo, em campo no segundo tempo, juntamente com Llorente, não alteraram em nada a partida.

O brasileiro Diego Costa, por outro lado, que foi novidade no time de Madrid após perder 16 partidas por uma operação de hérnia de disco, entrou, lutou e deu um gás a mais para sua equipe. No entanto, nada mais foi feito e a partida terminou em 1-0 para os espanhóis.

Um Liverpool decepcionante em Madrid, um Atlético vencedor com o mínimo de esforço.

Priscila Pietschmann

Priscila Pietschmann

noticias 128 RANK 14
LEITURAS 402K RANK 14
Mais notícias do autor

Follow BeSoccer on Facebook