noscript image
GooglePlay Logo AppStore Logo Uptodown Logo

Willian não foi o único: Copa América do Brasil é marcada por lesões

BeSoccer por BeSoccer @besoccer_com - 0 646

Pin Willian não foi o único: Copa América do Brasil é marcada por lesões.
Willian não foi o único: Copa América do Brasil é marcada por lesões.

Willian não foi o único: Copa América do Brasil é marcada por lesões

BeSoccer por BeSoccer @besoccer_com - 0 646

Desde o período de preparação para o torneio, até às vesperas da final, a seleção conviveu com cortes, problemas físicos e sustos.

Tapia, Paredes, Cuéllar, Vecino, Vidal, Aránguiz, Medel, Gustavo Gómez, Balbuena, Mina, Davinson Sánchez, Giménez, Godín. Todos eles defensores ou jogadores de marcação com presença nesta Copa América de 2019. Mas o marcador implacável da seleção brasileira nesta edição do torneio é... a lesão!

Seja por causa de problemas musculares, oriundos de um esforço desmedido, exagerado, ou na maioria das vezes até com a falta de sorte de um choque ou torção – mais recorrentes em um esporte de contato como o futebol – o Brasil de Tite passou toda a sua caminhada neste torneio envolta em questões médicas. Willian, que por causa de problema na coxa, não será opção para a final contra o Peru, neste domingo (07), no Maracanã, é o problema mais recente.

O camisa 10 sentiu o problema na parte final da semifinal vencida sobre a Argentina, no Mineirão. Passou por exames e teve lesão diagnosticada. Ironia do destino, fecha um ciclo de problemas que acabaram até por render a sua própria presença no torneio: o jogador do Chelsea só voou para o Brasil porque Neymar foi cortado por causa de uma entorse no tornozelo, quase uma semana antes da estreia na competição.

Neymar era dono da camisa 10, mas a pisada torta no gramado do estádio Mané Garrincha lhe fechou as portas da Copa América. No duelo seguinte, contra Honduras, o meio-campista Arthur deixou o campo na maca com dores no joelho após um choque com adversário. Houve apreensão pela possibilidade de corte, mas no final das contas para ele deu tudo certo.

Nas quartas de final, o grande temor era a ausência de Casemiro, suspenso pelo acúmulo de cartões. Fernandinho, o substituto de Tite, não pôde entrar em campo por causa de uma entorse no joelho, sofrida no empate sem gols contra a Venezuela, ainda pela fase de grupos. O meio-campista ainda segue em observação.

Filipe Luís, titular na lateral-esquerda, teve que ser substituído no intervalo do jogo contra o Paraguai, que seria definido nos pênaltis, por causa de dores na coxa. O jogador não teve lesão detectada, mas seguiu sentindo dores e faz trabalho individualizado na academia.

O goleiro Alisson sente dores devido a um choque sofrido na vitória sobre a Argentina, e nesta quinta-feira (04) esteve aos cuidados dos fisioterapeutas. Contudo, segundo a CBF a situação não preocupa e o camisa 1 estará de volta para participar das atividades nesta sexta-feira (05).

Isso para não citar casos que preocuparam, como Marquinhos pedindo substituição no segundo tempo contra a Argentina [justificado mais tarde como mal-estar causado por virose] ou o cansaço visível de jogadores cujo esforço tem sido tremendo, caso de Gabriel Jesus por exemplo.

De qualquer forma, pelo acaso ou esforço exagerado, a participação do Brasil na Copa América também ficará marcada pelo excesso de lesões.

BeSoccer

BeSoccer

noticias 37K RANK 1
LEITURAS 117M RANK 1
Mais notícias do autor

Follow BeSoccer on Facebook